13 · 04 · 2017

Educação Financeira Familiar: como organizar o orçamento da família

Lidar com as finanças pessoais já é difícil. Mais complicado ainda é organizar o orçamento familiar. A tarefa fica ainda mais difícil nos tempos atuais de crise financeira e com o poder aquisitivo familiar em queda. Porém, o planejamento fica bem mais fácil quando são empregados alguns exercícios e estabelecidas algumas metas de educação financeira familiar. Saiba que toda a família deve estar envolvida para alcançar o equilíbrio nas contas, inclusive os filhos. Comprometimento, foco e dedicação formam a base para um planejamento eficaz e que gere resultados.

Para saber mais sobre como organizar o orçamento da sua casa, confira nossas dicas que vão ajudá-lo a superar esse obstáculo em sua vida financeira

7 dicas para organizar o orçamento familiar

1. Organize as despesas atuais

organizar o orçamento

O primeiro passo para implantar a educação financeira e organizar o orçamento familiar é saber onde a renda de toda a família é empregada. Para isso, tenha sempre na ponta do lápis todas as despesas registradas, desde os gastos básicos, como aluguel, supermercado, água e luz, até o saquinho de pipoca comprado na rua.

Sabe aquele cupom fiscal ou segunda via do cliente que, na maioria das vezes, o consumidor despreza? Passe sempre a guardá-los para registrá-los assim que houver tempo no fim do dia, pois é uma das melhores formas de perceber “para onde foi todo aquele dinheiro que saquei hoje?”. Porém, não basta apenas anotar as despesas. Vale a pena investir em um aplicativo financeiro que monte suas planilhas em categorias (transporte, educação, alimentação e outros), o que facilita enxergar para quais áreas a despesa da família é maior, por exemplo.

2. Planeje as despesas futuras com antecedência

O início do ano é conhecido por muitas famílias como um dos períodos de maior gasto: IPVA, IPTU e matrícula escolar dos filhos. Que tal evitar o sufoco de começar o ano com o orçamento já apertado? Para isso, planeje e reserve nos meses de menor despesa um dinheiro para esses gastos fixos anuais.

Contudo, planejar a vida financeira familiar do futuro não envolve apenas cuidar das contas fixas. Uma viagem de férias com toda a família, por exemplo, merece ser pensada com antecedência. Além de poder encontrar passagens a preços mais em conta, outra vantagem de planejar uma viagem meses antes é ter a oportunidade de negociar hospedagem e pacotes de passeio a preço camarada.

3. Pense duas vezes antes de gastar

Essa dica é muito importante, principalmente para os consumidores compulsivos: antes de comprar algo, pense sempre na real necessidade de adquirir aquele produto. Por isso, não vale embarcar naquelas promoções com descontos imperdíveis pelo simples fato de a mercadoria estar mais barata.

Em toda família há sempre aquele que é conhecido por comprar mais. Para frear os gastos, incentive o mais gastador a deixar o cartão de crédito em casa e ir às compras apenas com dinheiro vivo.

Preste atenção nos gastos desnecessários em casa e também naqueles velhos hábitos como, por exemplo, trocar o carro da família todo ano. Se o veículo atende bem a todos, será que realmente há a necessidade de trocá-lo?

4. Estabeleça metas de economia por mês

organizar o orçamento

A partir da organização do orçamento familiar mensal, defina o quanto a família pode economizar por mês. Se a renda familiar é fixa, é mais interessante especificar um valor mensal para poupar. Já se o que a família arrecada varia de acordo com o mês, criar metas de economia em porcentagem pode ser uma opção mais viável.

A estratégia pode ser ainda mais simples: se a prestação da geladeira termina esse mês, por exemplo, por que não guardar o mesmo valor no mês que vem, em vez de substituir por outra prestação? Afinal, a educação financeira familiar não deve ser restrita ao controle de gastos, mas também envolve gerar dinheiro. Uma boa opção é pensar em formas de investimento financeiro para render o dinheiro, já que a poupança oferece juros baixos.

5. Crie regras para cortar gastos

Após organizar o orçamento familiar em categorias, essa tarefa torna-se menos árdua. Porém, despesas como água, energia elétrica e telefone são itens básicos nos quais sempre se pode economizar. Medidas como demorar menos no banho, apagar as luzes quando sair dos cômodos e restringir o número de ligações por dia de cada familiar são regras eficazes para cortar gastos.

Conte principalmente com a participação dos filhos: será que há mesmo necessidade de fazer inúmeras atividades extraescolares (judô, natação, inglês, futebol)? Negocie com eles apenas uma ou duas atividades extras, por exemplo. E procure estender a todos os membros da família os cortes no orçamento, até mesmo aos animais de estimação. Que tal trocar os banhos em pet shop por banhos em casa?

6. Envolva os filhos no orçamento familiar

organizar o orçamento

Os filhos devem saber da real condição financeira da família, até para não se frustrarem por não terem o padrão de vida que desejam. Deixe sempre claro a eles o orçamento familiar e convide-os para participarem do planejamento financeiro também. Com os filhos mais informados sobre a renda da família, é mais fácil ter a parceria deles no controle das despesas.

Por que não incentivá-los a criarem seus próprios controles financeiros? Além de deixá-los mais conscientes sobre os próprios gastos, é uma ótima forma de ensinar educação financeira familiar aos próprios filhos. Até porque, por dominarem as ferramentas tecnológicas, eles poderão dar aquela mãozinha na montagem dos gastos. Afinal, nada mais justo do que contar com a ajuda dos membros da família que mais contribuem com as despesas.

7. Ensine os filhos a economizar desde cedo

Desde pequenos, ensine aos filhos o valor do dinheiro. Para isso, sempre os incentive a guardar parte da mesada que recebem. Para as crianças menores, os cofrinhos são a melhor opção, e quanto mais coloridos e chamativos, melhor. Já para as crianças maiores e para os adolescentes, é mais interessante estimulá-los a investir do que a economizar na poupança, por exemplo.

E não se esqueça: os filhos têm grandes chances de repetirem em sua futura família a vida financeira familiar na qual cresceram. Por isso, tenha sempre em mente que você deve dar o exemplo e economizar junto.

 

Viu só como não é tão difícil fazer um planejamento e ter uma boa educação financeira familiar? Para que o dinheiro seja empregado corretamente e a família não passe por sufocos, a saída é ser bem realista, fazer as contas e economizar. Dessa forma, fica mais fácil manter o padrão de vida sem ter que desembolsar mais dinheiro.


Organizze, autor(a) do post
Saiba para onde está indo o seu dinheiro e economize. O Organizze é uma ferramenta online que vai ajudar a colocar suas contas em dia. Usado por quase meio milhão de pessoas.